7.12.08

Em mudanças...

Depois de muitos recomeços pouco conseguidos, chegou a altura de dizer o óbvio:
Este Blog está fechado.
Junto-me agora a outro Blog, o Toques de Deus. O Nuno Branco desafiou-me e eu penso que é bem melhor juntar energias.... além de tudo chegar a una casa como aquela só me pode deixar contente.
Este Blog continuará on-line.
até já!

8.4.08

Uma boa conversa...

Tantas amizades se perdem porque, na hora de conversar, de procurar caminhos de reconciliação, nos precipitamos e deixamos que a mágoa faça ferida.

Estas linhas querem apenas ser uma ajuda para quem precisar de preparar-se para uma conversa de reconciliação. Não são passes de magia. A vida não tem livro de instruções, não se resolve com receitas simplistas. O meu único desejo é inspirar uma atitude de abertura que, passo a passo, possa levar ao (re)encontro do outro.

Trazer à memória e agradecer o primeiro encontro, o entusiasmo das primeiras horas e dos primeiros dias. Rever o filme da nossa história da amizade, os momentos mais importantes, todo o bem recebido. Escrever. Recordar algum gesto escondido que tenha ficado por agradecer. Anotar e sublinhar.
Não ter vergonha de saborear tudo o que se deu. A alegria e o amor com que se deu.

Reconhecer também todos os gestos em que possamos ter ferido o nosso amigo. Pedir Perdão em voz baixa.
Olhar, sem medo, para aquilo que nos magoou. Que gestos, que palavras. Pedir a Deus que a dor não se transforme em ressentimento.

E depois de tudo isto...

... partir para a conversa com a certeza que o amigo de quem me aproximo parte para o encontro com a melhor das intenções.

Ao conversar ser transparente e humilde. Ser verdadeiro, sem querer ser dono da verdade. Liberto da pretensão de converter.
Agradecer. Pedir perdão. Dizer o que dói. Dispor-se a perdoar.
Em cada palavra, procurar a humildade de quem se expõem ao outro, sem transformar a conversa numa troca de argumentos, num debate em que se procura ter razão.
nota: este texto é agradecidamente dedicado ao meu companheiro jesuíta RR: bom conversador e inspirador de conversas.

4.4.08

Bondade

Como expliquei um dia por aqui, não gosto da palavra herói.
Mas hoje, pude ouvir um homem que foi durante a minha juventude e adolescência algo parecido com um herói. Hoje pude apreciar a transparência, verdade e profundidade da sua heroicidade. Pude escutar a sua bondade.
Um homem de Deus, um homem para os homens e mulheres do povo que acompanhou.
Nas suas palavras, despojadas de todo o artifício, ecoava uma esperança sem ressentimento.
Falando num português pausado para uma audiência maioritariamente espanhola, D. Ximenes-Belo marcou pela sua simplicidade, pela autenticidade do seu testemunho pessoal.
Hoje, ao regressar a casa, voltava profundamente emocionado e muito mais consciente da história de sofrimento do povo timorense e da nossa responsabilidade como país nessa mesma história.

3.4.08

Grito

Quando um amigo é acusado injustamente, um grito revoltado e contido nos abala e faz tremer. Quando essa acusação se dirige como seta envenenada à mais profunda das suas intenções, ao lugar mais secreto e puro do seu coração não podemos deixar de abrir as mãos e levantar os braços como se fossem lágrimas.
Conhecer o coração que se esconde por de trás de cada gesto, enche de uma luz clara e transparente a mais enigmática das acções.


Às vezes, sem querer, deixámos que passem de boca em boca através de conversas, longas ou de circunstancia, críticas a pessoas que não conhecemos. Pessoas das quais desconhecemos o coração.
Era bom acreditar que um gesto, que a nós nos parece estranho e ambíguo, pode esconder uma bondade insuspeita.
O mundo está cheio de matizes e os nossos olhos são demasiado pequenos para alcançar ou acolher toda a diferença e toda a bondade.

Precisamos de ser humildes e aceitar que o nosso olhar é incapaz de penetrar toda a densidade do agir humano, é incapaz de julgar plenamente e com justiça todas as intenções.

nota: o nº 2 do essejota.net está on line. boa leitura!

23.3.08

Aleluiia!!

A Brito - Luz Escaldante
"A Luz que nos é concedida é tão forte que mesmo se quiséssemos, não poderíamos apagá-la completamente." (Christian Bobin)

Ao longo da semana santa não me foi mesmo possível escrever. Ficam agora o votos de Boa Páscoa e promessa de volta mais para o fim da semana...

16.3.08

Boa Semana Santa...


Ser escolhido por alguém é uma experiência profunda.

Quando alguém nos manifesta, nas pequenas e grandes coisas, que somos importantes, sentimo-nos agradecidos. Às vezes nem chegamos a compreender o porquê deste ou daquele gesto. Parece-nos excessivo receber tanto, quando temos a sensação de ter dado tão pouco…
Esta semana acompanhamos os passados de Jesus que escolheu dar a vida por cada um de nós.
À medida que acompanhamos esses passos podemos, repetir interiomente: dás a vida por mim!
A eleição de Jesus que podemos contemplar ao longo desta semana, é uma escolha que nos afecta pessoalmente. É uma escolha de um amor levado às últimas consequências.
nota: volto quarta-feira e peço desculpa pela ausência dos últimos dias...

9.3.08

Rezar o mundo (com a ajuda dos media)


Acordamos. Pouco depois de calarmos o despertador, as notícias vão-nos entrando despedaçadas pelos ouvidos dentro, no meio da nossa luta contra o sono. Fica-nos na memória o resto de uma reportagem sobre o caso Madie. No metro, no autocarro ou ao chegar à faculdade alguém nos dá um gratuito. Os olhos correm pelas poucas páginas daquele jornal. A morte de frio de um sem abrigo provoca um breve momento de incomodo. Guardamos o jornal na mochila para aproveitar o sodoku para uma aula teórica. Depois das aulas, vamos à sala de informática. Vemos os mails. Abrimos o messenger. Ao nosso lado, um professor lê o Público. Continuam a aumentar as vítimas do terrorismo. Na nossa cabeça ressoa uma pergunta: como se pode lutar assim? À noite, enquanto cumprimentamos a nossa mãe ao chegar a casa, ouvimos o Rodrigo Guedes de Carvalho, na Sic, falar de uma descoberta qualquer que pode ajudar os doentes de SIDA. À noite, ao voltar do cinema o olhar de um personagem fica gravado na memória.
Muitas vezes é assim que o mundo nos entra pelos sentidos. Mais ou menos aos pedaços. Como peças de um puzzle que temos dificuldade de encaixar.

Este espaço – Rezar o Mundo, com a ajuda dos media - é uma pequena ajuda do Optimista para que seja mais fácil encaixar as peças umas nas outras. Uma vez por mês será proposto um pequeno exercício de oração ou reflexão que posssa ajudar a ler, ouvir e ver as notícias, recordar um filme ou navegar na net de um modo mais profundo. Trata-se de apurar os sentidos para descobrir os gritos, as lágrimas, os risos e os silêncios com que Deus nos interpela em todos esses mundos. Para não deixar que o mundo nos passe ao lado. Para que não passemos ao lado do mundo.

Exercício 1

Depois de teres feito o sodoku, não deites fora o gratuito que te costumam dar pela manhã.
1.Escolhe a notícia que mais te chamou a atenção ( porque te incomodou, te fez rir, porque te pareceu mesmo estranha...).
2. Recorta a notícia.
3. Quando chegares a casa, na tua secretária lê a notícia com calma.
4. Fecha os olhos e pergunta-te:
- O que te fica dessa notícia? O que é mais te chama a atenção? Porque achas que te incomodou, fez rir ou surpreendeu a notícia?
- Como terão reagido ao que aconteceu as pessoas envolvidas? Se pudesses que lhes dirias?
- Das palavras de Jesus que conheces, qual pensas que se adapta melhor a esta situação?
5. Cola a notícia num sitio onde a possas ver e escreve com um marcador, em cima da notícia, a palavra de Jesus que escolheste.

Ao avaliar este pequeno exercício tenta perceber o que é que Deus te disse. Se quiseres podes partilhá-lo na caixa de comentários.

nota: Este exercício fui escrito para o número 0 do essejota.net e pode ser encontrado no arquivo da secção «O mundo à nossa volta».