23.10.07

Aparição

Regressei hoje a uma casa que acolhe antigos sem-abrigo. Fica numa zona “triste” de Madrid. Na Páscoa celebrei aí parte do triduo pascal. Desde essa altura, ficou em mim um desejo de ser fiel àquelas pessoas. O desejo voltou uma e outra vez. Ao programar este ano, foi possível reservar um tempo para tentar viver este desejo.

Hoje fui até lá, para acertar com a responsável da casa o modo como posso aproximar-me daquela realidade. Foi um momento marcante. Fazer a experiência de ser profundamente acolhido por pessoas com vidas tão quebradas e esquecidas tocou, de um modo totalmente novo, o mais profundo do meu coração. Experimentar ser chamado pelo meu nome, ser amado sem mas, nem porquês, por aqueles de cujo nome não lembrava, encheu-me de uma alegria sem palavras.
Hoje Deus amou-me através daqueles que, a maioria das vezes, não se lembram, não se podem lembrar, que são amados.

21.10.07

Pergunta ingénua

Ontem, no final de uma pequena vigília de oração, o padre que concluiu aquele momento recordava que abençoar significa dizer bem. Deus abençoa-nos, abençoa o mundo. Se Deus diz bem de nós e do mundo, porque será que gastamos tanta energia a dizer mal de nós.... e do mundo? É que, por acaso, nós e o mundo até somos obra de Deus...

20.10.07

Desejos de um futuro padre (1)

Um companheiro jesuíta partilhou a seguinte experiência. Estava junto de um doente terminal que acompanhava há alguns dias. Um dia o doente pede-lhe que lhe dê uma bênção. “Nesse momento percebi que me estava a pedir que «saísse da frente de Deus» para que Deus se pudesse aproximar dele.”

Ao caminhar passo a passo em direcção a minha ordenação(faltam quase 3 anos), peço a graça de que ao aproximar-me das pessoas não caia na tentação de ser um muro entre elas e Deus.

19.10.07

De volta...

Uma breve nota para anunciar o regresso...