4.4.08

Bondade

Como expliquei um dia por aqui, não gosto da palavra herói.
Mas hoje, pude ouvir um homem que foi durante a minha juventude e adolescência algo parecido com um herói. Hoje pude apreciar a transparência, verdade e profundidade da sua heroicidade. Pude escutar a sua bondade.
Um homem de Deus, um homem para os homens e mulheres do povo que acompanhou.
Nas suas palavras, despojadas de todo o artifício, ecoava uma esperança sem ressentimento.
Falando num português pausado para uma audiência maioritariamente espanhola, D. Ximenes-Belo marcou pela sua simplicidade, pela autenticidade do seu testemunho pessoal.
Hoje, ao regressar a casa, voltava profundamente emocionado e muito mais consciente da história de sofrimento do povo timorense e da nossa responsabilidade como país nessa mesma história.

Sem comentários: